Governo do Rio de Janeiro Rio Poupa Tempo na Web Governo Aberto RJ Página inicial
Aumentar letra    Diminuir letra    Letra normal
Compartilhe nas mídias sociais  
Home :: Plantão dengue :: Destaques

Destaques

Faça frio ou faça calor, prevenção é fundamental
28/06/2019

As medidas de controle e eliminação do Aedes aegypti – o mosquito que transmite dengue, zika e chikungunya – independem do clima ou da estação

Faça frio ou faça calor, prevenção é fundamental

Temperaturas amenas no início e no fim do dia, manhãs ensolaradas e tardes de calor. Para quem não mora nas regiões mais frias do Estado do Rio de Janeiro, o inverno parece ter chegado sem muita cara de inverno.

Embora estejamos na estação mais fria do ano, o clima lembra mais a primavera ou do outono e, em alguns momentos do dia, até mesmo o verão. Mas se ainda não deu para tirar os casacos mais pesados do armário, há algo que tem que estar presente na sua rotina, o combate ao Aedes aegypti.

Afinal, as medidas de controle e eliminação do Aedes aegypti – o mosquito que transmite dengue, zika e chikungunya – independem do clima ou da estação. A prevenção às três doenças deve, portanto, ser transformada em hábito e incorporada à rotina semanal de todos ao longo de todo o ano.

A dengue, a chikungunya e a zika não são doenças de uma única estação, e o mosquito transmissor delas, o Aedes aegypti, pode representar perigo também durante o inverno. Seja um inverno tipicamente frio ou atípico como este que está com cara de verão.

A explicação para isso é simples. Os ovos do Aedes aegypti podem sobreviver cerca de um ano em ambiente seco. Para a larva do mosquito eclodir é preciso que o ovo entre em contato com a água, mas se o local em que foi depositado não for eliminado, ele ficará ali esperando o momento propício para dar origem a um novo mosquito. Uma chuva fraca, por exemplo, poderá fazer a larva eclodir e trazer o perigo dessas doenças de volta.

Ou seja, em determinadas épocas do ano, principalmente nas que têm temperaturas mais amenas e menos chuva, o Aedes aegypti pode até se ausentar, mas não desaparece. É como se ele ficasse escondido se preparando para, a qualquer momento, atacar novamente.

Faça, então, a sua parte! Para isso, você vai precisar de apenas 10 minutos por semana. Apenas 10 minutos por semana pode parecer pouco, mas este intervalo é determinado pelo ciclo de vida do mosquito transmissor da dengue.

Como este ciclo leva, do ovo até a fase adulta, cerca de 7 a 10 dias, se a verificação e eliminação dos criadouros – caixas d’água, galões, tonéis, vasos de plantas, calhas, garrafas, lixo e bandejas de ar-condicionado, entre outros – forem realizadas uma vez por semana, será possível evitar o nascimento de novos mosquitos.


Denúncia de focos



As secretarias Municipais de Saúde são as responsáveis pelo combate direto ao mosquito.

Clique aqui e veja como entrar em contato com a secretaria de sua cidade.
Acompanhe o Rio Contra Dengue nas mídias sociais

Facebook Twitter Youtube
Secretaria de saúde
Links interessantes:
PET Rio sem fumo Rio imagem Rio com Saúde Xô, Zika !!


Alguns direitos reservados
Esta obra é licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil