Governo do Rio de Janeiro Rio Poupa Tempo na Web Governo Aberto RJ Página inicial
Aumentar letra    Diminuir letra    Letra normal
Compartilhe nas mídias sociais  
Home :: Plantão dengue :: Destaques

Destaques

Festas juninas: que tal unir animação e prevenção?
05/06/2019

Como o mosquito transmissor da dengue tem hábitos domésticos e a maior parte de seus criadouros é encontrada dentro das residências, é importante atenção constante para identificar e eliminar possíveis focos

Festas juninas: que tal unir animação e prevenção?

Junho chegou e, além das temperaturas mais amenas, trouxe um clima festivo bem típico. Com chapéu de palha, blusa e vestido xadrez, forró pamonha, cocada brincadeiras e... Prevenção. Isso mesmo! Que tal unir festas juninas com a prevenção da dengue, zika e chikungunya? Afinal, para o Aedes aegypti, mosquito transmissor das três doenças, não tem clima ameno ou festa. Ele está sempre à espreita!

Para não deixar que ele faça a sua festa particular, dá para aproveitar os arraiais para informar e conscientizar. Uma ideia é, entre as barraquinhas de comidas e de brincadeiras, montar uma de informações sobre a dengue. Dicas para evitar focos de mosquito e informações sobre os sintomas da doença podem ser alguns dos temas abordados. Produza cartazes, monte maquetes, faça folhetos... Use e abuse da criatividade para chamar a atenção e passar dicas importantes.

Outra opção é bolar uma pescaria diferente. No lugar dos peixes de papel ou plástico, o mosquito. Em vez de uma caixa com areia ou serragem, a maquete de uma casa com todos os locais em que o mosquito pode depositar suas larvas. É possível também usar latas, tampas, garrafas ou outros recipientes que possam se transformar em criadouros do Aedes aegypti e premiar quem conseguir retirar o transmissor da dengue de lá. Diversão garantida, no clima caipira, e, o que é mais importante, com informação para todos.

Porque, não tem jeito, no inverno ou no verão, em dia de festa ou não, a prevenção é fundamental. Como o mosquito transmissor da dengue tem hábitos domésticos e a maior parte de seus criadouros é encontrada dentro das residências, é importante atenção constante para identificar e eliminar possíveis focos. Para fazer a sua parte você vai precisar de apenas 10 minutos por semana. Este intervalo é determinado pelo ciclo de vida do mosquito transmissor da dengue.

Como este ciclo leva, do ovo até a fase adulta, cerca de 7 a 10 dias, se a verificação e eliminação dos criadouros – caixas d’água, galões, tonéis, vasos de plantas, calhas, garrafas, lixo e bandejas de ar-condicionado, entre outros – forem realizadas uma vez por semana, será possível evitar o nascimento de novos mosquitos. Ou seja, sem o perigo da dengue rondando a sua casa e os arraiás de junho, a diversão estará garantida. Anarriê!


Denúncia de focos



As secretarias Municipais de Saúde são as responsáveis pelo combate direto ao mosquito.

Clique aqui e veja como entrar em contato com a secretaria de sua cidade.
Acompanhe o Rio Contra Dengue nas mídias sociais

Facebook Twitter Youtube
Secretaria de saúde
Links interessantes:
PET Rio sem fumo Rio imagem Rio com Saúde Xô, Zika !!


Alguns direitos reservados
Esta obra é licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil